sexta-feira, 8 de maio de 2009

Turismo espacial é só o começo


Viagens de longa distância poderão ser feitas em naves espaciais em vez de aviões daqui 20 anos, se a idéia da Virgin em comercializar vôos turísticos para o espaço for bem sucedida. Pelo menos é o que diz o presidente da empresa, Will Whitehorn.

A idéia de levar turistas para o espaço é apenas a primeira fase do que poderia ser algo muito maior, incluindo avanços na ciência espacial, estabelecimento de grupos de servidores no espaço e até maior agilidade em viagens de longa duração. Estima-se que uma viagem da Inglaterra para a Austrália, que hoje dura cerca de 20 horas, seria feita em menos de 2 horas se a nave fizesse o percurso por fora da atmosfera.

Cerca de 300 pessoas já se dispuseram a pagar 200 mil dólares, cada, para um vôo turístico espacial - entre elas Rubens Barrichello e Niki Lauda. Os testes já estão em andamento e, em breve, a Virgin deverá ganhar uma licença da Federal Aviation Authority.

Questionado sobre o impacto ambiental, o presidente da empresa lembra que as aeronaves testadas emitem muito menos poluentes do que os foguetes tradicionais, além de serem fabricadas por materiais menos agressivos à Terra.

Além disso, ele diz que os servidores no espaço poderiam ser completamente alimentados por energia solar.

Nenhum comentário: